Chiori Miyagawa

2021

Chiori Miyagawa é uma dramaturga, poeta e escritora de ficção americana sediada em Nova Iorque. Nasceu en NAgano, no Japão antes de se mudar para os Estados Unidos com 16 anos. Na altura tinha a intenção de aprender inglês durante um ano, mas acabou por ficar permanentemente. Tornou-se cidadã americana em 1993.

Miyagawa tirou o M.F.A no Brooklyn College. Durante a sua carreira trabalhou com inúmeros teatros. Foi dramaturga para o Berkeley Repertory Theatre, e produtora literária no Arena Stage, em Washington D.C. Também foi assistente de produção literária no Actors Theatre of Louisville no Kentucky. Outros locais notáveis onde trabalhou incluem a Tisch School of the Arts da NYU, o American Conservatory Theatre, e o Young Playwrights Festival. Fez dramaturgia para a encenadora vencedora de 5 obies Joanna Akalaitis no New York Theatre Workshop. No The Public Theater, Miyagawa criou e leccionou o Asian American Playwrights Lab. Entre 1998 e 2009 foi fundadora e co-directora artistíca da Crossing Jamaica Avenue Theatre Company. Foi dramaturga aluna da New Dramatists em 2013.

Presentemente, Miyagawa é membro da faculdade de Teatro e Performance no Bard College.

O trabalho de Miyagawa é conhecido por explorar temas da memória e identidade. As peças dela são frequentemente escritas num tempo e espaço fluidos, mais do que numa sequência temporal linear. Muitos dos seus trabalhos inspiram-se na literatura e formas de arte Japonesas e utilizam fantasmas como personagens. No seu trabalho tem explorado uma variedade de questões, tais como as interacções entra culturas Ocidentais e Orientais, feminismo, adição em drogas, ou a pena de morte.

Entre as suas peças podem contar-se America Dreaming (1995), produzido pelo Music-Theatre Group e pelo Vineyard Theatre e recebeu uma nomeação para um Drama Desk Award em 1994; Nothing Forever & Yesterday’s Window (1996) produzido no New York Theatre Workshop; Firedance (1997), produzido pelo Voice & Vision Theater; Jamaica Avenue (1998) produzido pelo New York International Fringe Festival. A peça foi publicada em Tokens? The NYC Asian American Experience on Stage; Awakening (2000) foi produzido pelo Performance Space 122 e baseado no romance de 1899 de Kate Chopin The Awakening; Woman Killer (2001), inspirada na peça Japonesa de Bunraku de 1721 escrita por Monzemon Chikamatsu intitulada The Woman Killer and The Hell of Oil; Broken Morning (2003) baseada nas entrevistas de Chiori Miyagawa na Huntsville State Prison, no Texas, não só aos condenados à morte, mas também a guardas, familiares e vítimas; Leaving Eden (2004) inspirada na vida de Anton Chekhov e produzida pela Meadows School of Arts; The Antigone Project (2004), uma criação de Miyagawa e de Sabrina Peck, estreada no Women’s Project Theatre; Thousand Years Waiting (2006) co-produzida pelo Crossing Jamaica Avenue e o Performance Space 122; I Have Been to Hiroshima Mon Amour (2009) produzido no Voice & Vision Theater como parte do Hiroshima Project do Ohio Theatre, e escrito como resposta ao famoso filme de 1959 Hiroshima mon amour; I Came to Look for You on Tuesday (2013) estreado no La MaMa Experimental Theatre Club; This Lingering Life (2015) estreada no Theatre of Yugen, e inspirada em peças do Noh Japonês do século XIV.

Várias das peças de Miyagawa foram publicads em dois livros: Thousand Years Waiting and Other Plays publicada pela Seagull Books, e American Dreaming and Other Plays, publicada pela NoPassport Press.

Para além de teatro, Miyagawa tem também poesia escrita e publicada na Asian American Policy Review. Tem ainda prosa não-ficcional publicada na Black Warrior Review e na Ecotone.

Miyagawa recebeu os prémios New York Foundation for the Arts Playwriting Fellowship, McKnight Playwriting Fellowship from the Playwrights’ Center, Van Lier Playwriting Fellowship, Asian Cultural Council Fellowship, Rockefeller Bellagio Residency Fellowship, Radcliffe Institute for Advanced Study Fellowship da Harvard University, duas vezes o Rockefeller Multi-Arts Production Fund e o Beinecke Playwright-in-Residence da Yale School of Drama.

 

Mais Informação: www.bard.edu, www.radcliffe.harvard.edu e en.wikipedia.org

fundo