NANO T

2012

    ">

 QUAL FOI A COISA MAIS PEQUENA QUE JÁ VISTE?

Tudo no nosso mundo tem uma medida exacta e muitas escalas que podemos imaginar. Para entendermos o mundo à nanoescala podemos comparar uma bola de futebol com o planeta terra ou um berlinde com a cabeça do Einstein.

Todos entendemos que a distância transforma o que vemos. Podemos ver um ponto no céu durante toda a nossa vida, mas só quando nos aproximarmos dele teremos a certeza de ser um planeta. O mesmo ponto num mapa pode ser uma cidade inteira, mas da janela de um avião cada ponto lá em baixo é uma pessoa, uma casa ou um avião. Já um ponto com 100 nanómetros na ponta de um dedo é simplesmente invisível aos nossos olhos.

NANO T é o registo da nossa aproximação ao mundo do infinitamente pequeno. No percurso da marionet e da nossa investigação das relações possíveis entre arte, ciência e tecnologia, podemos dizer que é a nanotecnologia analisada pela imaginação.

E se o mais pequeno que podemos ver for ainda grande demais para nós?

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Discussão e ideias: Alexandre Lemos, Filipe Eusébio, Joana Cardoso, Lígia Anjos, Lucília Raimundo, Mário Gutiérrez Cru, Mário Montenegro, Nádia Nogueira, Pedro Augusto (aka Ghuna X); Encenação: Alexandre Lemos; Interpretação: Filipe Eusébio, Lucília Raimundo, Nádia Nogueira; Figurinos e adereços: Joana Cardoso; Banda sonora: Pedro Augusto (aka Ghuna X);Vídeo: Mario Gutiérrez Cru; Operação de luz: Celestino Gomes; Design: Joana Cardoso e Nicolai Sarbib; Ilustração: Mister Mourão; Fotografia: Francisca Moreira; Registo vídeo: Rodrigo Lacerda; Penteados: Ilídio Design;Produção executiva: Lígia Anjos; NANO T é uma criação da marionet em 2012.

apoios

Governo de Portugal – Direcção-Geral das Artes, Câmara Municipal de Coimbra, Teatro Académico de Gil Vicente, Universidade de Coimbra, Semana Cultural da Universidade de Coimbra, Fundação Bissaya Barreto, ilídio design, MAFIA, TEUC, Antena 2, Bloco esquerda, Dolce Vita, Público, PCP, RTP2, RUC, UCV.

fundo