MIM – My Inner Mind 

2012

 SOBRE A PEÇA

Uma criação sobre o modo como o ser humano tem consciência de si e do mundo, e das investidas que faz no sentido de perceber essa sua forma de funcionar, no sentido de se conhecer melhor. O cérebro a olhar para o cérebro.

De Janeiro a Julho de 2010 a MARIONET foi um dos 10 candidatos seleccionados para uma realizar uma residência artística no âmbito do programa Rede de Residências – Experimentação Arte | Ciência e Tecnologia da responsabilidade conjunta da Ciência Viva e da DGArtes. A nossa residência decorreu no Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC), onde pudemos acompanhar diariamente as rotinas e projectos de alguns dos grupos daquele centro de investigação. O facto da nossa estadia ali ter sido uma “residência residente”, por nos ter sido cedido um espaço próprio dentro do centro para desenvolvermos o nosso trabalho, permitiu-nos uma interacção prolongada com o objecto do nosso estudo artístico, o que resultou numa enorme quantidade de materiais recolhidos, muitos dos quais não foram utilizados nos objectos artísticos criados no âmbito daquele programa. É este acervo de materiais criativos, juntamente com a relação próxima entretanto estabelecida com o CNC, que está na génese da criação de MIM – My Inner Mind.

Blogue da nossa residência artística (em Inglês) > AQUI.

MIM é uma peça sobre cérebros. Cérebros que usam o cérebro, cérebros que estudam o cérebro, cérebros que criam, cérebros que percepcionam, que recordam, que experimentam, que se emocionam, que aprendem, enfim, cérebros que vivem.
É também uma peça sobre a memória e o seu reverso, o esquecimento, e foi criada com a intenção de se transformar numa experiência para quem assiste. Uma experiência cerebral e sensorial invocando recordações pessoais e criando novas memórias.
A peça é um percurso pela memória e o esquecimento através das instalações do CNC.

Ao longo do percurso será possível encontrar memórias de outros tempos, outros lugares, outras pessoas, muitas delas que fomos recolhendo nas últimas semanas num repositório de pequenos objectos carregados de recordações a que chamámos Memorião. E, claro, a memória muito presente do dia a dia do centro de investigação na sua procura permanente de conhecer melhor como somos o que somos.

Ao contrário do habitual em eventos performativos, será permitido fotografar e filmar durante as apresentações, oferecendo a possibilidade às pessoas de guardar memórias da peça usando os aparelhos tecnológicos que todos transportamos hoje em dia. É nossa intenção, aliás, que o público contribua para a construção da memória da peça através dessas suas gravações, e iremos tentar depois recolher todos esses contributos e olhares pessoais.

De 21 de Novembro a 1 de Dezembro (Quarta-feira a Sábado) às 21h30 no CNC (no edifício da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra) até ao dia 1 de Dezembro.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Discussão e ideias: Alexandre Lemos, Filipe Eusébio, José Miguel Pereira, Lígia Anjos, Lucília Raimundo, Mafalda Oliveira, Marcelo dos Reis, Mário Montenegro, Marta Félix, Pedro Andrade;
Textos e interpretação: Filipe Eusébio, Lucília Raimundo, Mário Montenegro;
Encenação: Mário Montenegro;
Espaço cenográfico, figurinos, adereços e imagem: Pedro Andrade;
Música e interpretação: José Miguel Pereira, Marcelo dos Reis;
Iluminação e direcção técnica: Mafalda Oliveira;
Assistência de montagem: José Castro Gomes, Rui Capitão;
Fotografia: Francisca Moreira;
Registo e edição video: Ana Félix;
Penteados: Carlos Gago;
Produção executiva: Alexandre Lemos, Marta Félix, Teresa Girão (CNC).

Uma produção marionet 2012.

Local: Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra
Datas: 21 de Novembro a 1 de Dezembro (4ª a Sábado) às 21h30

Bilhetes
10€ [Normal]
6€ [Estudantes, profissionais das artes e das ciências]

Reservas
T. 931671163

Atenção: a lotação é muito limitada, por isso recomendamos a reserva antecipada de lugar.

apoios

Câmara Municipal de Coimbra, Centro de Neurociências e Biologia Molecular da Universidade de Coimbra, Dolce Vita, Governo de Portugal – Direcção-Geral das Artes, Fundação Bissaya Barreto, Ilídio design, MAFIA, Mau Feitio, PCP, RUC.

Agradecimentos:
Ana Ledo, Ana Luísa Cardoso, Ana Maria Silva, Ana Santos Carvalho, Ângela Inácio, Augusto Monteiro, Bernardo Monteiro, Bonifrates, Bruno Carreira, Catarina Resende de Oliveira, Célia Aveleira, CITAC, CITEC, Cláudia Pereira, Diana Graça, Djalme Neves, Francisca Eiriz, Francisca Moreira, Francisco Oliveira, Gabriela Monteiro, Gabriel Costa, Inês Morte, Isabel Dantas, Isabel Onofre, Joana Vindeirinho, João Gonçalves, João Pedro Carvalho, Lígia Anjos, Luísa Cortes, Maria Joana Guimarães Pinto, Marta Baptista, Mário Henriques, Nuno Patinho, Paula Canas, Patrícia Lopes, Pedro Costa, Pedro Medeiros, Ricardo Trindade, Rita Perfeito, Sandra Morais Cardoso, Sara Amaral, Susana Sampaio, Teresa Girão, Teatro do Morcego, Vera Francisco.

fundo