MAZEZAM and SOUND CUT-UP na Casa das Artes

2012

“A repetição deve ser mantida até se ser capaz de afundar a terra em água. No útero, procure-se a ambiguidade do estado de sonho, relativa ao equilíbrio estático, o momento de realidade e o processo inverso de existência. Não terás poder para permanecer aqui, não ganharás mais do que o devaneio.” Catarina Miranda

//

Perfomance que parte da análise de estados intermediários de percepção presentes na obra Bardo Thodhol – Liberation Through Hearing During The Intermediate State; a descrição de um percurso para o corpo em putrefação, da sua deslocação post mortem, num espaço repositório de transposição. O espaço cénico, é trabalhado enquanto repositório de objectos e estados, onde pela inércia dos corpos em movimento e pela rotação ininterrupta se transforma a matéria orgânica, carne e fluído, em tempo. Pela repetição exaustiva de um gesto e sua refração no espaço, cada fenómeno permanece em contínua evolução, ao longo de um processo de ascensão e queda. A composição sonora ocupa o lugar cénico, redimensionando o espaço cosmológico e aproximando-se de estratégias tímbricas da música concreta e do teatro Nō Japonês.

//

Sábado 14 de Janeiro | 21h45 | Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto

//

Conceito// Catarina Miranda

Colaboração// Jonathan Uliel Saldanha e Rosabel Huguet

Performance// Catarina Miranda e Rosabel Huguet

Composição Sonora// Jonathan Uliel Saldanha

Desenho de Luz// Catarina Miranda com o apoio de Alexandre Vieira

Duração// 35 m

Com o apoio do Espaço Cultural Altes Finanzamt, Colectivo Flocks&Shoals, Colectivo Soopa, Balleteatro e marionet

Poster_coimbra
fundo