LAB BLA BLA

2011

15 e 16 de Junho de 2011
4ª e 5ªfeira
Altes Finanzamt | Berlim

 

LAB BLA BLA surge nesta fase do nosso percurso como mais um motivo de encontro entre Arte e Ciência, desta feita com particular ênfase sobre a linguagem. Tanto a poesia como a ciência usam a palavra para comunicar, mas os diferentes objectivos que as orientam estabelecem diferenças profundas de significado para uma mesma palavra. Na ciência reconhecemos o cultivo da exactidão do significado, necessidade ligada ao seu mecanismo básico de reprodutibilidade. Na poesia reconhecemos a necessidade de multiplicar os significados, de brincar com eles por vezes até à subversão. Em ambas reconhecemos a capacidade de acrescentar novas palavras ao nosso léxico.
Com a intenção de explorar poesia influenciada pelo avanço da ciência, tanto através da introdução de novas palavras como através de temas e conceitos científicos, este evento explorará textos de Miroslav Holub (1923-1998), poeta e imunologista checo.No fundo uma proposta de leitura e reescrita do conhecimento que a ciência constrói. Confiamos à interacção com a tecnologia a criação de parte do texto, através da utilização de mecanismos de geração semi-aleatória de texto alimentados por poemas de Holub traduzidos por Manuel Portela.

“O facto de não conseguir imaginar o momento presente sempre me preocupou. Por momento presente quero dizer um estado ou processo individual consciente, uma experiência; o presente em larga escala é bastante mais fácil de apreender. O que é um momento, o que é este momento no qual eu evidentemente existo, ao contrário da natureza, a qual de acordo com a famosa citação de Whitehead não existe num momento? (…)”
“E: por quanto tempo somos felizes? Usando o meu bem testado e reproduzível modelo de tirar sapatos apertados, não posso afirmar que tenha sido feliz durante dez minutos depois de os descalçar. Talvez aqueles poucos segundos, seguidos de uma reflexão em forma de – ah, bom, e também, malditos sapatos apertados! E mais um par de segundos… (…)”
Excertos de The Dimension of the Present Moment and Other Essays (Miroslav Holub), Tradução de Manuel Portela.

 

Ficha Artística e Técnica:

Discussão e ideias: Alexandre Lemos, Emanuel Botelho, Laetitia Morais, Manuel Portela, Mário Montenegro, Rui Simão, Tiago Serra. Textos: Miroslav Holub com tradução de Manuel Portela e adaptação de Mário Montenegro. Direcção Artística e Interpretação: Mário Montenegro. Vídeo: Laetitia Morais. Banda Sonora: – Emanuel Botelho. Iluminação: Rui Simão. Cenografia e figurino: Joana Cardoso. Coordenação do Laboratório Tecnológico: Tiago Serra. Design: Sente Design. Operação Técnica: Emanuel Botelho, Guilherme Barbosa, Laetitia Morais, Rui Simão e Tiago Serra. Penteados: Carlos Gago. Registo Fotográfico: Francisca Moreira. Registo e Edição Vídeo: João de Almeida. Produção executiva: Alexandre Lemos, Cassilda Pascoal, Emanuel Botelho.

Apoios:

Ministério da Cultura | DG Artes, Fundação Bissaya Barreto, Ilídio Design, MAFIA – Federação Cultural de Coimbra, RUC

fundo