Cálculo

2011

         

O público parece ter a ideia de que apenas a ciência contemporânea é movida pela competição pelo primeiro lugar – uma espécie de Olimpíadas apenas com uma medalha de ouro. De facto, este ímpeto para ser o primeiro é simultaneamente alimento e veneno para os cientistas e foi sempre fundamental para o funcionamento da sua cultura tribal. Através da figura de um dos maiores cientistas de todos os tempos, Isaac Newton, CÁLCULO mostra que os desvios resultantes de semelhante ambição eram tão pronunciados há 300 anos como o são agora. A contenda de 30 anos entre os maiores filósofos naturais de Inglaterra e da Alemanha, Isaac Newton e Gottfried Leibniz, sobre quem primeiro inventara o cálculo (equações diferenciais e integrais) é particularmente relevante por ter sido conduzida pelos seus seguidores. A manipulação de um comité anónimo de onze membros da Royal Society pelo seu presidente, Newton, é praticamente desconhecida e é ilustrada em CÁLCULO através de três desses seguidores de Newton: John Arbuthnot (médico da rainha Anne), o conhecido matemático e imigrante francês Abraham de Moivre, e Louis Frederic Bonet, embaixador em Londres do rei da Prússia. Em última análise a peça responde à questão: “O que é que a integridade moral tem a ver com cálculo integral?” Numa palavra: “Muito.”

 

Carl Djerassi, in Cálculo, Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011 (No prelo)

Calendário de apresentações do espectáculo

Estreou a 17 de Novembro no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra | Sala Carlos Ribeiro. Esteve em cena no mesmo local até 3 de Dezembro | de 4ª a Sábado às 21h30.

 

Actividades paralelas

Palestra de Carl Djerassi | “Science in theatre: from the page to the stage”
Local: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra
Dia: 15 de Novembro pelas 17h

Lançamento de “Cálculo”, de Carl Djerassi, editado pela Imprensa da Universidade de Coimbra, com sessão de autógrafos com o autor. Participantes: Carl Djerassi, Carlos Fiolhais (apresentação da obra), Delfim Leão (director da Imprensa da UC), Mário Montenegro.
Local: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra
Dia: 15 de Novembro pelas 18horas

-> As escolhas de Carlos Fiolhais – recensão à tradução portuguesa de “Cálculo” | 01/2012
 

Ficha artística e técnica

Texto: Carl Djerassi; Discussão e ideias:  Alexandre Lemos, Andreia Damas, Carlota Simões, Filipe Eusébio, Gil MAC, Helena GFreitas, José Valente, Mário Montenegro, Pedro Andrade, Rui Guerreiro, Rui Simão
Encenação e tradução: Mário Montenegro; Intérpretes: Andreia Damas (Lady Brasenose), Filipe Eusébio (Vanbrugh/Moivre /Newton), Gil MAC (Cibber/Bonet/Leibniz), Helena GFreitas (Sra. Arbuthnot), Rui Guerreiro (Dr. Arbuthnot);Cenografia, Imagem e Figurinos: Pedro Andrade; Música e interpretação: José Valente; Iluminação: Rui Simão; Fotografia: Francisca Moreira; Penteados: Ilídio Design; Produção executiva: Lígia Anjos; Uma produção marionet | 2011

Apoios

Direcção-Geral das Artes, Câmara Municipal de Coimbra; Bahlsen, Cafetaria do Museu da Ciência, Coisas Antigas, Fundação Bissaya Barreto, Ilídio Design, JACC, MAFIA – Federação Cultural de Coimbra, Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, Zé Carioca; Bloco Esquerda, Dolce Vita, Partido Comunista Português, RUC – Rádio Universidade de Coimbra, UCV

Agradecimentos

Carl Djerassi, Carlos Fiolhais, Carlota Simões

fundo