As Moscas são Ratos que Voam

2010 co-produção com o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra/inserido na Noite dos Investigadores 2010

MARIONET colaborou de novo este ano na organização da Noite dos Investigadores, uma iniciativa da União Europeia que acontece todos os anos (desde 2005) na 4ª sexta-feira do mês de Setembro, e que tem por objectivo aproximar os investigadores em ciência do público em geral.

Em 2010 a Noite dos Investigadores aconteceu no dia 24 de Setembro e o teatro é foi novo uma forma de expressão escolhida para aproximar os investigadores das outras pessoas. A Noite teve; muitas actividades e ocorrereu simultaneamente em diversas cidades europeias. Em Portugal as cidades envolvidas neste projecto foram o Porto, Coimbra, Lisboa e Olhão. Para mais informações sobre o projecto global poderão visitar o site dos Cientistas ao Palco.

A participação da MARIONET consistiu na criação de um espectáculo de teatro sobre a vida de investigadores num laboratório científico, que foi apresentado no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, e que, mais uma vez, teve a particularidade de os actores serem cientistas. As Moscas são Ratos que Voam é um espectáculo criado por um grupo de investigadores científicos em conjunto com a MARIONET que coloca a lupa sobre o dia a dia do cientista no mundo da Ciência.

Este espectáculo é um princípio de estudo. O objecto de estudo é a sociedade da Ciência e a sua relação com a sociedade exterior. Mas não é um estudo sociológico, é um espectáculo, um estudo artístico. Quem orienta este estudo, quem investiga, é simultaneamente objecto do estudo, pois são os investigadores quem constrói desde a raiz – as ideias – este espectáculo. A perspectiva com que é olhada a Ciência é, por isso, a dos cientistas e não a de alguém exterior ao mundo da Ciência. É um olhar de dentro para dentro e de dentro para fora.

O meio de publicação dos resultados do estudo não é um artigo científico, é o palco – o palco de um museu de ciência mas ainda assim um palco. Foi esse o desafio que os investigadores corajosamente escolheram enfrentar: falar de si próprios utilizando um meio que não dominam. Mas, na verdade, essa é uma característica presente num bom investigador científico – gostar de desafios. Em As Moscas são Ratos que Voam são analisadas as relações entre colegas cientistas, é avaliada a cadeia hierárquica num centro de investigação, é estudada a interacção com a sociedade em idade escolar em visitas de estudo, investiga-se a relação dos investigadores com familiares e amigos, comparam-se diferentes abordagens à ciência no contexto nacional e no estrangeiro, discutem-se os valores individuais e de grupo – tudo isto sob o olhar atento dos eternos elementos de bata azul que acompanham transversalmente a vida que pulsa num laboratório de investigação.

 

Ficha artística e técnica:

Discussão e ideias: Alexandre Lemos, Ângelo Tomé, Diana Rodrigues, Filipa Heitor, Henrique Silva, Inês Almeida, Inês Morte, Inês Violante, Mário Montenegro, Paula Banca, Raquel Ferreira, Teresa Girão, Tiago de Sousa Santos, Vera Francisco; Elenco: Ângelo Tomé, Catarina Resende de Oliveira, Diana Rodrigues, Filipa Heitor, Henrique Silva, Inês Almeida, Inês Morte, Inês Violante, Margarida Carneiro, Paula Banca, Raquel Ferreira, Teresa Girão, Tiago de Sousa Santos, Vera Francisco; Texto: Raquel Ferreira; Encenação e desenho de luz: Mário Montenegro; Figurinos e adereços: Joana Cardoso; Registo e edição vídeo: Rodrigo Lacerda; Registo fotográfico: Francisca Moreira e Rodrigo Lacerda; Produção executiva: Alexandre Lemos, Emanuel Botelho; Co-produção: MARIONET 2010 | Museu da Ciência da Universidade de Coimbra

 

Apoios:

Ministério da Cultura | DG Artes, Ilídio Design, MAFIA – Federação Cultural de Coimbra, RUC

 

Agradecimentos:

A Escola da Noite, CNC, Projecto BUH!

fundo