Olhar O Longe . Olhar O Antes

2008

uma viagem às estrelas

Partindo das características específicas das observações astronómicas e procurando tirar partido das características morfológicas e patrimoniais da cidade de Coimbra a acção a decorreu em dois locais distintos: um mais elevado, no topo de um edifício da alta da cidade, e outro num plano mais baixo, no Parque Verde, junto ao rio. O público situado no Parque verde assistiu à acção nesse espaço, bem como ao que acontecia no topo do edifício da alta através da imagem captada por telescópios e visivel pela ocular destes ou projectada numa tela.

A relação distante observador/observado, para além de uma associação directa ao modo como é realizada a procura do conhecimento através da Astronomia, pretendia despertar questões relacionadas, por exemplo, com a inacessibilidade do “verdadeiro” conhecimento da realidade, com a existência de intermediários e implicações associadas nas observações e transmissão do conhecimento, com a relação entre espaço e tempo e o modo como os relacionamos.

A assistência ao espectáculo no local de cota mais baixa era gratuita. A assistência ao espectáculo no terraço da Biblioteca Geral esteve sempre limitada a uma pessoa por apresentação, mediante pré-reserva e com o bilhete a custar 5.000 €.

Com uma forte analogia às viagens de turismo espacial,os compradores do bilhete para o espectáculo-constelação no local de cota mais alta fariam o percurso de ascensão ao topo do edifício através do interior da biblioteca e dos seus vários andares de conhecimento acumulado pela Humanidade ao longo dos séculos. No topo desse conhecimento estariam finalmente mais perto das magníficas constelações de estrelas que configuram o céu estrelado (recentemente considerado património da Humanidade pela UNESCO), e com a possibilidade de assistirem em condições exclusivas ao espectáculo.

O texto original, escrito durante o processo de construção, em interacção com os diversos componentes do todo performativo em construção, aborda questões actuais da Astronomia contrastadas pelos mitos tradicionalmente associados às constelações que se podem observar no céu.

Olhar O Longe . Olhar O Antes foi apresentado em Coimbra nos dias 29 e 30 de Agosto, 5, 6, 12, 13, 19, 20 de Setembro (6ªs e Sábados) e 22 de Setembro (2ª feira, equinócio de Outono), sempre às 21h45. E, fez parte das comemorações do Ano internacional da Astronomia (2009).

Ficha Artística

Texto e direcção: Mário Montenegro Discussão e ideias: Mário Montenegro, Alexandre, Anabela Fernandes, Pedro Andrade, Rui Simão, Rui Capitão, Francisco Queimadela e Mariana Caló Intérpretes: Alexandre, Anabela Fernandes, Mário Montenegro Espaço cenográfico, figurinos, adereços e imagem: Pedro Andrade Sonoplastia: Rui Capitão Direcção Técnica e Iluminação: Rui Simão Vídeo: Francisco Queimadela e Mariana Caló Fotografia: Francisca Moreira Produção executiva: Cristiana Morais Produção: Marionet 2008

Apoios

DG Artes – Ministério da Cultura, Complexo Parque Verde,  Mondego, Câmara Municipal de Coimbra, MAFIA – federação cultural de coimbra, Ano Internacional da Astronomia – 2009, Ilídio Design Cabeleireiros, Rádio Universidade de Coimbra – RUC, Universidade de Coimbra, SAC, O Teatrão, Orquestra Clássica do Centro.

Agradecimentos

Makro de Coimbra, Água Luso, TEUC, Extintel, A Escola da Noite, DGEEI – Eng. Mário Carvalhal, Eng. Filipe Noro, Eng. Fernando Martins, Observatório Astronómico – Dr. Claudino Romeiro, Planetário do Porto – Nelma Silva, Prof. Dr. Carlos Fiolhais, Dr. Maia do Amaral, Prof. Dra. Carlota Simões, Prof. Dr. João Fernandes, Pedro Feio, Carlos Oliveira, Francisco Moreira, Elísio Sousa, Livraria XM, Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, Alpha Centauri, Jonathan Azevedo, Maria João Feio

fundo